Anestesiologia e suas funções – Como se tornar um?

Anestesiologia é a designação do estudo de técnicas e fármacos utilizados para que se atinja o estado anestésico, isto é, é uma especialidade médica que tem como objetivo estudar e ainda proporcionar o alívio da dor naquele paciente que está sendo sujeitado a intervenções cirúrgicas.

O profissional que atua na Anestesiologia é chamado de anestesiologista (ou como é dito na forma popular: anestesista).

Conheça mais sobre essa profissão, suas funções, áreas de atuação e informações para quem deseja seguir essa carreira!

Anestesiologia e suas funções

A Anestesiologia vem crescendo gradualmente, afinal essa é uma especialidade médica de suma importância e, felizmente, também favorece a ampliação de suas funções, períodos e áreas de atuação.

Um anestesiologista – ou anestesista, como preferir – é aquele profissional que terá não somente a função de fazer com que o paciente adormeça durante uma determinada cirurgia ou procedimento (exame). Suas responsabilidades ultrapassam esse detalhe, embora poucas pessoas saibam disso.

Mesmo que o ato de aplicar a anestesia no paciente seja fundamental para dar continuidade à intervenção ou exame, pois se tem a necessidade de fornecer um estado total de ausência de dor e outras sensações, sua área de envolvimento atrai muitas pessoas, pois poderá envolver atividades ambulatoriais a outras ações em áreas associadas.

Enquanto o cirurgião realiza a operação, o anestesiologista tem a responsabilidade de cuidar do paciente – checando de forma interminável seus sinais vitais, estando apto a realizar tais ações:

  • Aferição da pressão arterial,
  • Atenção ao volume urinário,
  • Checagem de qualquer atividade muscular,
  • Controle da respiração,
  • Controle da temperatura corporal,
  • Controle do ritmo cardíaco,
  • Observância do nível de consciência do paciente.

Mas sua atuação não inicia na aplicação da anestesia: existe a visita pré-anestésica para que o paciente converse com o profissional para que ele entenda a necessidade da anestesia para a intervenção ou procedimento que irá realizar. Essa visita procura esclarecer e descobrir todas as informações pertinentes sobre o estado de saúde em geral do paciente e mais sobre a própria cirurgia (ou exame) em si.

Sua atuação também continua no pós-cirúrgico, quando o anestesiologista visita o paciente no quarto ou quando ele for encaminhado para uma unidade de terapia intensiva.

O papel do anestesiologista também abrange o tratamento da dor no pós-operatório e ainda atender casos não cirúrgicos, isto é, aquelas situações em que o paciente possui dores crônicas.

Dessa forma, entende-se que o anestesiologista pode optar por algumas áreas de atuação – lembre-se que ainda existem muitas outras áreas e série de atividades –, como é o caso destas destacadas abaixo:

  • Anestesia para transplantes,
  • Atendimento emergencial,
  • Clínica da dor,
  • Cuidados paliativos,
  • Gestão hospitalar,
  • Medicina Intensiva.

Vale lembrar que o perfil de um profissional que deseja seguir na função de Anestesiologia exige grande interesse por procedimentos invasivos, além de estar sempre com uma imensa vontade de estudar e utilizar novas tecnologias.

A especialidade da Anestesiologia está bastante associada com equipamentos de alta tecnologia, os quais podem facilitar a missão do anestesista – muito embora não exista uma melhor forma de avaliar e acompanhar o paciente através do próprio olhar apurado do profissional.

Como ser anestesiologista?

A profissão de anestesiologista exige formação em Medicina – são seis anos cursando esta faculdade. Obrigatória e posteriormente à conclusão do curso de Medicina, você deve passar por um curso de especialização em Anestesiologia que tem uma duração média de 3 anos, pois é ali que você se tornará apto (por meio da residência médica) a ser um anestesista.

Com isso, você garante o título de especialista em Anestesiologia. O salário de um anestesiologista pode alcançar até R$ 12.000,00 por mês, sendo que o valor é impactado pelo nível de experiência e a quantidade de locais em que o profissional trabalha (consultório próprio, plantão, clínicas, etc.). Os rendimentos podem, portanto, ser ainda bem maiores.

Todo o estudo e tempo empreendido são primordiais, afinal você acabará lidando com escolhas e aplicações decisivas de anestesias e monitoramento das funções vitais de um paciente, além de garantir sua evolução no pós-operatório e administrando quaisquer intercorrências que surgirem.

A formação para ser um anestesiologista é relativamente eclética. A intenção é única para qualquer área – cardiologia, clínica médica, terapia intensiva, pneumologia e por aí vai –, pois se visa transformar a ação anestésica-cirúrgica a mais segura o quanto for possível para todos os pacientes.

Por curiosidade, a primeira cirurgia com anestesia foi realizada no ano de 1846, utilizando-se o éter como substâncias. Já parou para imaginar quando cada procedimento era feito sem qualquer alternativa de abster a pessoa da dor? Que bom que os tempos mudaram, não é mesmo?

As oportunidades também mudaram para se fazer o melhor para cada paciente também. Por isso, esteja ciente de sua rotina de trabalho como anestesiologista que estará recheada de momentos de crise e estresse, mas também com situações em que o bom humor e disposição serão indispensáveis.

Querendo ou não, você estará trabalhando em um limite tênue entre a vida e a morte. Conforme informações da Sociedade Brasileira de Anestesiologia, há cerca de 21 mil anestesistas registrados no Brasil.


Ajude a melhor ainda mais o site, avalie:

1 Star2 Stars3 Stars4 Stars5 Stars (No Ratings Yet)
Loading...

Leave a Reply