Azitromicina: para que é indicada, posologia, cuidados e mais

A Azitromicina é um antibiótico indicado para o tratamento de infecções específicas, ajudando na melhoria da saúde e qualidade de vida. Trata-se de um medicamento que também pode ser encontrado no mercado pelos nomes comerciais Azimix, Zitromax e Azi. Veja abaixo para que serve a azitomicina, onde ela pode ser encontrada para venda, como tomar azitromicina, entre outras coisas.

Veja, aqui, informações completas sobre o seu uso, quando é indicado, o preço de azitromicina e todas as informações sobre este medicamento, que devem ser lidas antes de tomá-lo. É sempre importante conhecer esse e qualquer outro medicamento antes de tomar, por isso recomendamo seguir as instruções médicas e sempre ler a bula.

As principais indicações

Azitromicina: para que é indicada, posologia, cuidados e mais.

  • Infecções respiratórias, como sinusite, faringite, bronquite, rinite e pneumonia;
  • Infecções nos ouvidos, como a otite média;
  • Infecções em tecidos moles, como tendões e músculos;
  • Infecções genitais, como a cistite e uretrite;
  • Tratamento de DSTs (Doenças Sexualmente Transmissíveis), como a gonorreia e clamídia;
  • Tratamento de cancro, no combate ao desenvolvimento e crescimento da bactéria Haemophilus ducreyi.

Como a Azitromicina funciona no organismo?

O medicamento impede que bactérias produzam proteínas, que são as substâncias que levam à sua reprodução e ao seu crescimento. Por isso, com a Azitromicina é possível combater a proliferação de bactérias e infecções com mais eficácia, evitando complicações de saúde. O tratamento deve ser feito geralmente durante 3 dias, um prazo bem curto quando se trata de uma infecção.

Assim, com o início de uma dose única aplicada em pacientes de forma específica, é possível tratar infecções de pele, além de ser administrado em tempo determinados. Leia mais abaixo sobre para que serve Azitromicina, como ele é consumido em dose e muito mais.

Posologia

A posologia de Azitromicina varia de acordo com a infecção a ser tratada e o perfil do paciente, se adulto ou criança. De modo geral, tem-se a seguinte posologia de mg ao dia:

Uso em adultos

  • Para tratar DSTs/cancro, recomenda-se a ingestão de uma dose única oral de 1000 mg;
  • Para tratar quaisquer outras infecções em adultos, o indicado é a administração de uma dose total de 1500 mg, que pode ser dividida em 3 doses de 500 mg, ingeridas em dias diferentes e seguidos ou conforme orientação do médico.

Deve-se evitar ministrar em pacientes com reações alérgicas à quaisquer ingredientes da fórmula. Caso haja uma reação alérgica espontânea, seu médico deve ser avisado e o paciente deve imediatamente recorrer ao hospital mais próximo.

Ele não é indicado seu consumo a correta indicação do médico, Azitromicina não deve ser consumida por pacientes com insuficiência renal. Fique atento aos cuidados necessários.

Uso em crianças

  • Para tratar quaisquer infecções, a dose máxima total é de 1500 mg. O cálculo da quantidade exata é feito considerando 30 mg para cada quilo corporal da criança. Por exemplo, se ela pesar 30 quilos, a dose total será de 900 mg, a ser administrada de 3 a 5 dias seguidos, de acordo com a recomendação médica.

A dose diária indicada pelo médico pode ser ingerida com um pouco de líquido, preferencialmente água, sem ou com alimentos, no horário sugerido pelo profissional.

O que fazer se esquecer de tomar

Se esqueceu sua dose diária do medicamento no horário indicado pelo médico, faça a administração assim que possível. No entanto, se estiver próximo do horário da próxima dose, pule a que foi esquecida e continue o tratamento normalmente. Assim, evita-se o sobrecarregamento do organismo com uma dose a mais do medicamento, eliminando o risco de sofrer efeitos colaterais ou de comprometer ainda mais os resultados obtidos com o medicamento. É importante tentar seguir à risca o tratamento, por isso, se costuma esquecer seus remédios, coloque um despertador no celular para lembrar de tomar de tomar.

Quais são os efeitos colaterais?

Azitromicina: para que é indicada, posologia, cuidados e mais.

A Azitromicina é bem aceita pelo organismo, o que significa que há uma baixa incidência de efeitos colaterais em pessoas que fazem uso do medicamento. No entanto, é possível que alguns usuários enfrentem algumas reações adversas, a Azitromicina pode causar:

  • Náusea e vômito;
  • Diarreia e fezes amolecidas;
  • Desconforto abdominal;
  • Comprometimento do funcionamento do fígado;
  • Icterícia, resultado de problemas hepáticos;
  • Perda temporária da audição;
  • Redução de células de defesa no organismo;
  • Alteração na frequência cardíaca;
  • Queda da pressão arterial;
  • Sonolência;
  • Perda de apetite;
  • Ansiedade.

Caso qualquer um desses sintomas ocorra ou se houver algum tipo de desconforto ou alergia, o paciente deve comunicar esse fato ao médico que prescreveu o medicamento, para que o tratamento seja ajustado e traga o resultado esperado, sem reações adversas. Não é comum que haja esses efeitos, mas mesmo assim fique atento.

Contraindicações

  • Pessoas com histórico de alergia à Azitromicina, ou qualquer um dos componentes da fórmula, não devem fazer uso do medicamento;
  • Grávidas e lactantes não devem consumir, de modo a evitar o comprometimento da gestação ou amamentação;
  • Pacientes que fazem tratamento usando derivados de ergotamina, que são medicamentos para enxaqueca.

Qualquer medicação contínua que esteja fazendo, avise seu médico, a Azitromicina corta o efeito ou ainda faz interação com algumas substâncias,

Advertências do remédio

  • Pessoas com problemas graves no fígado devem fazer uso da Azitromicina com cuidado, sob orientação de um médico, pois o remédio pode alterar o funcionamento do órgão, gerando hepatite, icterícia, necrose ou insuficiência hepática;
  • Pacientes que fazem tratamentos usando anticoagulantes, digoxina e zidovudina devem comunicar ao médico o uso desses remédios. É possível usar a Azitromicina concomitantemente, mas o profissional deve fazer um monitoramento, para garantir que não haja interação medicamentosa;
  • A superdosagem pode fazer com que o paciente enfrente os efeitos colaterais típicos associados ao medicamento, além de comprometer o tratamento. Se tomar uma quantidade maior que a indicada pelo médico, ainda que por engano, e apresentar reações adversas, procure um pronto socorro.

Referências Utilizadas Neste Conteúdo:

http://www.dst.uff.br/revista16-1-2004/8.pdf

http://diposit.ub.edu/dspace/handle/2445/27942


Ajude a melhor ainda mais o site, avalie:

1 Star2 Stars3 Stars4 Stars5 Stars (No Ratings Yet)
Loading...

Leave a Reply