Eletroneuromiografia – Detecta quais doenças? Dói? Preço médio?

A eletroneuromiografia (ENMG) é o nome de um procedimento que tem como finalidade o diagnóstico e prognóstico de lesões que acometem o sistema nervoso periférico.

Nesse caso, o exame visa visualizar qual é o local exato da lesão neste sistema, fornecer informações sobre qual é a fisiopatologia dessa lesão (ou se houver mais que uma, é claro), o seu grau de comprometimento e o curso temporal desta.

Conheça mais sobre esse método agora:

  • Como é feito,
  • Detecção de quais doenças,
  • Se há dor para fazer o exame,
  • Qual o preço médio.

Outras informações também serão providas para que você não tenha dúvidas no momento do seu procedimento, ok?

eletroneuromiografia

Como é feita a eletroneuromiografia?

O sistema nervoso periférico constitui-se de músculos e nervos. A eletroneuromiografia tem a capacidade de examinar profundamente suas estruturas, funções e doenças neuromusculares que poderão atingi-los.

O exame eletroneuromiografia é realizado através de um aparelho chamado eletroneuromiógrafo. Apesar de ter um nome estranho, o procedimento pode ser feito no próprio consultório do médico que tenha o equipamento.

Em posição dorsal, a eletroneuromiografia é dividida em duas etapas:

  • Primeiro, há uma estimulação dos nervos periféricos, sensitivos e motores, através da utilização de uma corrente elétrica que tenha intensidade suficiente para que se gere uma resposta consistente, mas suportável para o paciente,
  • Depois, um eletrodo de agulha descartável é usado para analisar a fibra muscular, auxiliando na determinação da gravidade dos problemas que foram identificados na primeira etapa do exame.

Além disso, haverá a identificação de patologias de medula espinhal, raízes motoras e da própria fibra muscular.

Por isso, a eletroneuromiografia conduz estímulos elétricos aos nervos e músculos para diagnosticar problemas – que tenham origem nervosa ou muscular – para que se possibilite ao médico um melhor entendimento sobre qual o tipo de doença existente, grau de comprometimento que ela está provocando e há quanto tempo ela está presente na pessoa.

Para o dia do exame, alguns cuidados não devem ser menosprezados:

  • Informar ao médico quais remédios você utiliza,
  • Não aplicar cremes, pomadas, óleos ou loções de pele,
  • Não consumir bebidas que possuem cafeína e álcool,
  • Não fumar,
  • Não se expor ao frio antes do procedimento,
  • Não utilizar medicações que interfiram na condutividade dos nervos,
  • Usar roupas confortáveis para que se acesse o local do corpo que será examinado.

Dependendo a clínica ou do médico, haverá outras recomendações. Siga tudo de forma correta para que a eletroneuromiografia ocorra com total tranquilidade.

Indicações e contraindicações da eletroneuromiografia

eletroneuromiografia como funciona

A eletroneuromiografia deve ser feita por um médico que tenha formação especializada em neurofisiologia clínica.

Este exame tem como indicação a detecção das seguintes doenças:

  • Doença da junção neuromuscular,
  • Doenças de plexos nervosos,
  • Doenças do neurônio motor (poliomielite, atrofia muscular espinhal, esclerose lateral amiotrófica são exemplos),
  • Doenças musculares (como distrofias),
  • Hérnias discais,
  • Lesões de gânglios das raízes dorsais (como, por exemplo, herpes zoster),
  • Lesões de raízes nervosas,
  • Mononeuropatias (traumáticas),
  • Neuropatias compressivas (síndrome túnel do carpo),
  • Paralisias faciais,
  • Polineuropatias axonais (causadas por diabetes, álcool, etc.),
  • Polineuropatias desmielinizantes (síndrome de Guillain-Barré),

A eletroneuromiografia é bem detalhista e envolve algumas contraindicações importantes que são classificadas em relativas e absolutas (em que a eletroneuromiografia é terminantemente proibida de ser realizada).

Primeiro, veja quais são as contraindicações relativas:

  • Uso de marca-passo que impeça a aplicação de estímulos em locais proximais,
  • Pessoas com cateter intracardíaco, pois não é possível enviar estimulação elétrica,
  • Pessoas com distúrbios de coagulação ou com plaquetopenia (abaixo de 50.000/mm),
  • Pessoas em uso de medicamentos anticoagulantes, em que o tempo de protrombina ou parcial de protrombina tenha igual ou superior a duas vezes o seu valor normal.

Já as contraindicações absolutas são:

  • Pessoas que fazem uso de marca-passo do tipo desfibrilador,
  • Pessoas que fazem uso de marca-passo externo,
  • Pessoas que sofrem com erisipela ou abscesso (já que essa infecção pode passar ao músculo).

Crianças pequenas podem precisar de sedação para a realização da eletroneuromiografia.

Eletroneuromiografia dói?

Embora não ofereça riscos para o paciente, a eletroneuromiografia pode causar alguma dor ou desconforto no momento de sua realização, em especial por se tratar de aplicação de choques e na colocação de agulhas.

É bem comum também que os locais que recebem a aplicação de agulhas fiquem com marcações (manchas) por alguns dias, sumindo naturalmente depois.

Outro detalhe é que você pode sentir um certo desconforto muscular por alguns dias após o exame.

Preço médio da eletroneuromiografia:

A eletroneuromiografia é um procedimento bem específico e pode ter um preço variável por conta da quantidade de segmentos do seu corpo que serão analisados pelo médico. Quanto mais segmentos, mais caro ficará o exame.

Em média, a eletroneuromiografia custa em média R$ 250,00. Alguns convênios de saúde cobrem esse tipo de exame, mas ele também é disponibilizado pelo Sistema Único de Saúde (SUS) – muito embora possa ser um pouco mais demorado até que se autorize o procedimento.


Ajude a melhor ainda mais o site, avalie:

1 Star2 Stars3 Stars4 Stars5 Stars (No Ratings Yet)
Loading...

Leave a Reply