Para que serve Gardenal? Indicações, cuidados e mais.

Gardenal é o nome de uma medicação à base de fenobarbital. De uso oral para adulto se crianças, ele serve para a prevenção do surgimento de convulsões em pessoas com epilepsia ou também crises convulsivas de outras origens.

Muitos brasileiros têm o costume de associar esse remédio com a loucura, querendo dizer que quem toma Gardenal é maluco. No entanto, essa ideia está totalmente errada. Conheça mais sobre o Gardenal com as informações de sua bula.

Gardenal: principais indicações e contraindicações

O princípio ativo do Gardenal, o fenobarbital, é classificado como um barbitúrico, ou seja, um composto químico orgânico sintético que possui propriedades anticonvulsivantes.

O Gardenal age no sistema nervoso central e tem as seguintes indicações, como citadas anteriormente:

  • Prevenção no aparecimento de convulsões em indivíduos com epilepsia,
  • Prevenção no aparecimento de crises convulsivas de origens diversas.

Dessa maneira, este medicamento tem a capacidade de aumentar o limiar de convulsão, isto é, a quantidade de estímulos necessários para provocar convulsões. O tempo médio de início da ação do Gardenal no organismo é de 1 hora após sua administração, que se dá sempre via oral.

Contudo, o Gardenal possui várias contraindicações, sendo que as absolutas se destacam como sendo:

  1. Porfiria – doença metabólica que causa problemas na pele e/ou complicações neurológicas;
  2. Hipersensibilidade (alergia) conhecida aos barbitúricos;
  3. Insuficiência respiratória severa;
  4. Insuficiência hepática (do fígado) grave;
  5. Insuficiência renal (dos rins) grave;
  6. Lactantes.

Gardenal é contraindicado com o uso de álcool e com hormônios sexuais femininos (estrógenos e progestogênico) utilizados como contraceptivos.

Ainda, o Gardenal tem contraindicação para quem faz uso de determinadas substâncias, como Saquinavir, Daclatasvir, Dasabuvir, Paritaprevir, Sofosbuvir, Ledipasvir e Ombitasvir.

Posologia Gardenal: como tomar?

O Gardenal é encontrado em comprimidos de 50 mg e 100 mg, além de solução oral (gotas) de 40 mg/mL.

De acordo com a bula, o uso deste medicamento – quando em comprimidos – deve ser feito com o auxílio de líquido. A dosagem varia de 2 a 3 mg por quilo corporal por dia, em dose única ou fracionada.

Já a solução oral de Gardenal em a seguinte dosagem específica na bula:

  • Adultos: 2 a 3 mg/kg/ dia, em dose única ou fracionada,
  • Crianças: 3 a 4 mg/kg/dia, em dose única ou fracionada.

Conforme a bula, a eficácia do tratamento e a avaliação de qualquer mudança na posologia devem ser feitas apenas após 15 dias de tratamento – há o monitoramento através de amostras sanguíneas.

Em pessoas idosas, alcoólatras ou quem tem comprometimento da função renal e hepática, a dosagem é diminuída, principalmente pela maior suscetibilidade de apresentarem reações adversas.

A interrupção abrupta do tratamento com Gardenal pode ocasionar crises convulsivas e estado epiléptico – portanto, reduz-se gradualmente a dosagem, sempre sob orientação do médico.

Efeitos colaterais do Gardenal

Falando em reações adversas, o Gardenal pode apresentar alguns efeitos indesejáveis conforme a sua administração.

Com as informações descritas na bula da medicação, as reações mais comuns, isto é, que podem ocorrer em mais de 10% dos pacientes que utilizam Gardenal, são:

  • Aumento da fosfatase alcalina no sangue;
  • Aumento da gama-glutamiltransferase;
  • Aumento das transaminases;
  • Comportamento anormal, tais como agitação e agressividade;
  • Comprometimento da memória;
  • Contratura de Dupuytren (doença que traz dificuldades na contração de um ou mais dedos da mão);
  • Dermatite alérgica;
  • Dificuldade para falar;
  • Distúrbio cognitivo;
  • Náusea;
  • Sonolência;
  • Vômito.

Já os efeitos colaterais do Gardenal considerados como incomuns (que ocorrem entre 0,1 e 1% dos pacientes) são os seguintes:

  • Distúrbios do humor;
  • Distúrbios do sono/insônia;
  • Coordenação anormal;
  • Distúrbio do equilíbrio;
  • Dor nas articulações – síndrome mão-ombro ou reumatismo induzido por fenobarbital.

Informe sempre ao seu médico o aparecimento de reações desagradáveis pela utilização da medicação.

Aproximadamente 80% da dose de fenobarbital administrada tem sua absorção pelo trato gastrintestinal. A eliminação do Gardenal é feita pelos rins, excretada na forma inalterada (especialmente se a urina é alcalina).

Curiosidade sobre o Gardenal

A epilepsia, da mesma maneira que nos seres humanos, é uma condição séria para os cães e gatos e o barbitúrico fenobarbital é geralmente prescrito pelos médicos veterinários para tratar esse problema.

Embora seu uso seja frequente para as convulsões em animais, o fenobarbital não é uma cura, mas sim é um preventivo de crises epilépticas. Ou seja, ele não trata o problema – ele irá agir na diminuição da atividade neuronal no cérebro.

Os efeitos secundários também afetam o animal, que pode passar a sentir preguiça, sonolência e apresentar movimentos descoordenados. Em outros casos, há sinais mais graves como micção frequente e ganho de peso, bem como anemia e danos no fígado.

É fundamental que se verifique regularmente com o médico veterinário a saúde do animal.


Ajude a melhor ainda mais o site, avalie:

1 Star2 Stars3 Stars4 Stars5 Stars (No Ratings Yet)
Loading...

Leave a Reply