Neurocirurgia – O que estuda? Exames, Procedimentos e Salários

A Neurocirurgia é uma área da medicina que estuda doenças relacionadas ao cérebro, medula, coluna e nervos periféricos. Esse especialista é responsável por fazer tratamento ou cirurgia nos pacientes, se necessário, principalmente quando ocorre desordem no sistema nervoso periférico central e autonômico.

Essa área da medicina é responsável, por diagnosticar, tratar e prevenir problemas proporcionando a reabilitação dos pacientes.

O que analisa esse campo de estudo?

O Neurocirurgião cuida de inúmeras doenças que afetam o sistema nervoso central e periférico, entre elas estão:

  • derrames;
  • dor crônica na coluna;
  • traumas na coluna vertebral;
  • doenças vasculares da região cervical que podem resultar em uma isquemia cerebral;
  • doenças da coluna e medula;
  •  traumatismos cranianos;
  • epilepsia;
  • tumores cerebrais,
  • hérnias de disco;
  • doenças vasculares cerebrais como os aneurismas e a obstrução arterial,
  • hidrocefalia;
  • Síndrome do Túnel do Carpo.

Essas são doenças específicas que o neurocirurgião pode tratar, com a necessidade de cirurgia ou não.

Quais são os exames e procedimentos mais comuns?

Após a análise clínica dos pacientes e observar o histórico do mesmo o profissional solicita exames de imagens como: TAC (tomografia axial computorizada) e a RMN (ressonância magnética nuclear). Esses são exames fundamentais para poder diagnosticar o problema e a lesão.

Quanto ganha um profissional dessa área?

De acordo com dados oficializados do Mercado de Trabalho 2019, o Médico Neurocirurgião possui média salarial de R$ 6.599,85, tendo jornada de trabalho de 24 horas semanais. O teto salarial do profissional é de R$ 9.973,89, para médicos contratados no regime CLT Nacional, com carteira de trabalho assinada. Porém o médico Neurocirurgião também pode ter seu próprio consultório e fazer atendimentos particulares, nesse caso o salário pode variar de acordo com o número de pacientes atendidos e o tipo de tratamento.

Como tornar-se um e quando procurar um médico com essa especialização

Neurocirurgia

Para fazer neurocirurgia é preciso ser formado em Medicina, que depois dos 6 anos de graduação, deverá fazer Residência, durante o período de 5 anos e estudará matérias nas seguintes áreas:  Clínica Neurocirúrgica, Técnica Neurocirúrgica, Neuropatologia Neurorradiologia, Anatomia Microcirúrgica, e fundamentos de neurofisiologia clínica. Depois que terminar a Residência o médico receberá o certificado reconhecido pelo MEC (Ministério da Educação e Cultura) da AMB (Associação Médica Brasileira) e do CFM (Conselho Federal de Medicina).

Esses especialistas são muito solicitados para atuarem junto com outros médicos nas emergências, por conta do seu alto grau de treinamento em reabilitação de doenças neurológicas. Sua presença é de grande importância em grandes hospitais e clínicas médicas para auxiliarem no bem-estar e melhora dos pacientes.

Deve procurar um Neurocirurgião o paciente que apresentar os seguintes sintomas:

  • Movimentos involuntários (tremores, tics);
  • Dor de cabeça (cefaleia);
  • Desmaios e crises epilépticas (epilepsia);
  • Alteração do humor (irritabilidade, depressão);
  • Formigamentos (parestesias) e outras alterações da sensibilidade;
  • Ansiedades (medos, fobias, pânico, preocupações excessivas;
  • Perda de força (paralisias, plegia ou paresia);
  • Déficit de atenção;
  • Alterações do estado mental (confusão, agitação), perda de memória;
  • Alterações visuais (perdas visuais, visão dupla, pontos luminosos) e alterações da fala (gagueira, afasia);
  • Dores na coluna (lombalgia, cervicalgia…);
  • Distúrbios do sono (falta de sono ou sono em excesso);
  • Tonturas, alterações do equilíbrio e marcha.

No entanto para fazer o diagnóstico de maneira correta é preciso que o médico Neurocirurgião analise o histórico do paciente para avaliar se há necessidade de cirurgia, ou não. Após o descarte da cirurgia outros problemas podem ser tratados por especialistas nas seguintes áreas: reumatologia, neurologia, endocrinologia, otorrinolaringologia, entre muitos outros.

As informações acima podem ser usadas para adquirir conhecimento, não isentam você de procurar um médico para fazer melhor diagnóstico e constatar o tipo de doença, além de estudar o melhor tratamento de acordo com cada caso.

Hoje em dia, com a quantidade de médicos formados em tratar áreas específicas do corpo e as doenças que as acometem fica mais fácil obter o tratamento adequado de modo que possa haver melhora significativa e até a cura das doenças. Mas, lembre-se que é preciso sempre, consultar o médico para que possa ter um diagnóstico preciso e depois, então dar início ao tratamento.


Ajude a melhor ainda mais o site, avalie:

1 Star2 Stars3 Stars4 Stars5 Stars (No Ratings Yet)
Loading...

Leave a Reply