Remédios para Impotência Sexual – Qual o melhor?

A impotência sexual, também chamada de disfunção erétil, é um problema que costuma afetar muitos homens, trazendo vários transtornos psicológicos ao indivíduo que falha na hora H. Mas saiba que a impotência sexual é algo comum e que pode ter maior relação com aspectos cotidianos da vida do que com algum problema orgânico.

É normal e compreensível que, esporadicamente, ocorra uma falha na ereção e que estar ligada a algum problema vivido naquele dia ou semana. Médicos afirmam que 70% dos casos de impotência sexual estão ligados a aspectos psicológicos e apenas 30% têm alguma relação com algum problema vascular de origem arterial, hormonal ou alterações na anatomia do pênis.

Ejaculação Precoce

Mas a impotência vai ser considerada como tal quando a disfunção erétil for permanente no indivíduo e ocorrer em pelo menos 50% das vezes que o sujeito tentou deixar o pênis ereto. O que pode acontecer também é que a ereção obtida não é suficiente para realizar a penetração. Em geral, esse problema ocorre de maneira patológica a partir dos 50 anos, embora possa afetar indivíduos mais jovens.

Causas e sintomas da impotência sexual

Há várias causas que podem levar à impotência sexual, confira:

  • Alcoolismo;
  • Consumo de drogas;
  • Doenças crônicas, casos da insuficiência renal e da diabetes;
  • Obesidade;
  • Problemas psicológicos como depressão, traumas, medo, insatisfação ou queda da libido;
  • Uso em excesso de alguns remédios, como antidepressivos, antipsicóticos e anti-hipertensivos.

Outro fator que favorece a disfunção erétil é o uso do cigarro, pois o tabaco diminui o fluxo de sangue no organismo e, consequentemente, no pênis, podendo dificultar mais a ereção ou até mesmo impedi-la por completo.

Existem alguns sintomas que são verdadeiros sinais que podem ajudar a dar pistas para saber se você está passando por este problema. Veja abaixo:

  • Sofre para conseguir ou para manter uma ereção;
  • Tem uma ereção mais flácida;
  • Demora mais para ter uma ereção;
  • Diminuição do tamanho do pênis;
  • Tem dificuldade para o ato sexual em algumas posições;
  • Precisa de maior concentração para manter a ereção;
  • Redução dos pelos no corpo;
  • Queda das ereções espontâneas ao acordar;
  • Ejaculação precoce;
  • Alterações ou mesmo deformação no órgão genital;
  • Doença vascular que afeta a passagem de sangue para os membros inferiores do corpo.

Tratamento da impotência sexual

Existem várias formas para tratar a impotência sexual. A primeira opção é a ingestão de remédios que ajudam a propiciar novamente a ereção para o indivíduo, devolvendo a possibilidade da prática sexual. Outra opção é a terapia hormonal, seja por meio de cápsulas, adesivos ou injeções locais que elevem os níveis de testosterona.

O uso do aparelho de vácuo é indicado a homens que não podem tomar medicamentos para combater a impotência sexual. É possível também recorrer à cirurgia de implante de prótese peniana, que são sugeridas apenas como último recurso, quando os demais tratamentos não deram certo.

Como já foi dito, a primeira opção é a dos remédios, os mais populares e indicados por médicos e especialistas. A seguir falaremos das três principais medicações para combater a impotência sexual, bem como suas vantagens e desvantagens.

Viagra (Sildenafil)

Comercializado desde 1998, o Viagra é o remédio mais popular contra a disfunção erétil. Vendido em comprimidos de 25 mg, 50 mg e 100 mg, ele começa a fazer efeito após uma hora de ingerido e pode durar até quatro horas. O comprimido deve ser consumido com estômago vazio.

Viagra

O composto deste remédio é apenas um facilitador da ereção, pois ele aumenta o tempo do óxido nítrico já produzido, mas não influencia na produção. Logo, é preciso que haja um estímulo sexual para liberar o óxido nítrico e ocorrer a ereção. O Viagra não é recomendado a quem tem hipertensão e problemas cardiovasculares. O intervalo de uso deve ser de pelo menos 24 horas. Ingestão em doses elevadas pode causar hipotensão e AVC.

Cialis (Taladafil)

O Cialis foi lançado em 2003 e é comercializado em cápsulas de 5 mg, 10 mg e 20 mg. Leva uma hora até começar a fazer efeito, mas em comparação com os demais, é o que tem efeitos mais duradouros, podendo alcançar até 36 horas no caso das doses maiores. A dose de 2,5 mg e 5 mg pode ser ingerida diariamente, fazendo com que o remédio haja de forma permanente no homem. Ao contrário do Viagra e do Levitra, que podem gerar alterações visuais, esse risco não ocorre com o Cialis, que pode ser ingerido próximo às refeições.

Levitra (Vardenafil)

Vendido em comprimidos de 2,5 mg, 5 mg, 10 mg e 20 mg, o Levitra também foi lançado em 2003 e é aquele que tem início mais rápido, levando 30 minutos para começar a produzir efeitos no órgão sexual. Assim como o Viagra, dura até quatro horas e possui as mesmas contraindicações desse outro remédio.

Levitra


Ajude a melhor ainda mais o site, avalie:

1 Star2 Stars3 Stars4 Stars5 Stars (No Ratings Yet)
Loading...

Leave a Reply