Sintomas da gravidez: quais são eles? Veja aqui os mais comuns.

A descoberta da gravidez é algo que pode passar despercebido em um primeiro momento, principalmente para as futuras mamães que não estão atentas ao seu ciclo menstrual, nem estão entre as ‘tentantes’ que já almejam ser mãe. Um fator comum entre o “Estou ou Não estou grávida” é que muitos dos sintomas podem se confundir com a própria menstruação, variar e demorar a aparecer de organismo para organismo.

Entretanto, há alguns sintomas bem comuns entre a maioria das mamães que já aparecem no primeiro trimestre da gravidez – 13ª semana de gestação. Período em que os hormônios progesterona, ocitocina, prolactina, HCG, estrogênio estão a mil por hora para garantir tudo o que o bebê precisa para se formar no útero da mãe.

Um deles é um sangramento nas duas semanas após a gestação que é o momento que o óvulo fecundado – embrião se direciona para o útero. O fenômeno é chamado pelos estudiosos de nidação, e pode gerar no organismo da mulher um breve sangramento, que ocorre entre a terceira e a quarta semana de gestação. Este sangramento pode ser erroneamente confundindo com a menstruação.

Confira os sintomas mais comuns de que pode ter bebê a caminho

Sintomas da gravidez: quais são eles? Veja aqui os mais comuns.

  1. Menstruação atrasada: se a sua menstruação que costuma vir exatamente no prazo certo começar a atrasar mais que cinco a sete dias, talvez seja a hora de fazer aquele teste de farmácia do xixi ou mesmo o exame de sangue Beta HCG que é mais exato. Caso dê negativo e ainda sim sua menstruação esteja em atraso, repita o exame ou procure um ginecologista para averiguar e se houver gravidez tomar as providências necessárias para fazer o acompanhamento. O Sistema Único de Saúde (SUS) oferece todo o acompanhamento para as futuras mamães, basta fazer a triagem em um posto de saúde mais próximo, você receberá o cartão da mamãe.
  2. Enjoos e vômitos: são comuns entre a 6ª semana de gestação (mais ou menos 1,5 mês) e geralmente costumam se estender até a 12ª semana. Entretanto, há algumas mulheres que chegam até o final da gestação com esse sintoma. Cerca de 50% a 70% das futuras mamães passam por esse processo, de sentir enjoo matinal, no primeiro trimestre da gestação. E matinal é apenas o nome. Pode ocorrer a qualquer hora do dia, em todas as refeições. Isso se deve ao fato da produção do hormônio hCG, liberado a partir do desenvolvimento da placenta, auxiliando durante o período da gravidez.
  3. Aumento das mamas, mudança no bico do peito: algumas mulheres relatam que entre a 2 ª e a 3ª semana já sentem um aumento de sensibilidade nos meios e mesmo no seu volume ou na cor do bico. Sem dúvidas, é o seu corpo se preparando para que você produza leite e amamente;
  4. Apetite: o primeiro trimestre da gestação exige bastante do organismo da gestante. Para acompanhar este ritmo é normal um aumento considerável de apetite da mamãe.
  5. Sonolência em excesso: um dos fatores que geram a sonolência exacerbada é o hormônio progesterona que atua no cérebro gerando um cansaço desproporcional ao das atividades executadas e mesmo armazenando energia para que a mamãe geste o seu filho.
  6. Desejos alimentares: sabe aqueles desejos estranhos muito retratados em novelas e filmes? Sim, eles se tornam bem reais. Aquela comida que você adora, as vezes, durante a gravidez não conseguirá chegar nem perto. Já outras que você nem imaginava comer podem se tornar irresistíveis.
  7. Vontade de fazer xixi com mais frequência: por volta da 6ª semana de gestação fica bem difícil segurar um xixi, pois a bexiga perde sua capacidade de se esvaziar. Já por volta do segundo/terceiro trimestre, o feto já está tão grande que comprime a sua bexiga.
  8. Variação de humor: com uma montanha russa de hormônios, é normal uma mulher grávida passar da alegria para o choro em questão de segundos. Além das mudanças em seu corpo. Esse sintoma é bem comum entre a 5 e a 6ª semana.
  9. Aversão a cheiros fortes: de repente você ganha superpoderes de uma maior sensibilidade no olfato e alguns cheiros podem se tornar insuportáveis para as mamães.
  10. Inchaço do abdômen e prisão de ventre: por fim, com o passar das semanas, é normal um inchaço na área com um leve relaxamento para abrir espaço para gerar a criança. Consequentemente, o intestino fica com mais dificuldade para se contrair, gerando a prisão de ventre.

Atenção, se você apresenta algum dos sintomas acima, procure orientação médica para tomar as providências necessária. Pode ser um bebê a caminho, mas também pode ser uma doença. É importante o acompanhamento regular com um ginecologista de confiança. Bem como tomar às medidas para evitar principalmente às doenças sexualmente transmissíveis ou o agravamento de quadro clínicos que podem ser avaliados antes que se desenvolvam.


Ajude a melhor ainda mais o site, avalie:

1 Star2 Stars3 Stars4 Stars5 Stars (No Ratings Yet)
Loading...

Leave a Reply