Traqueostomia: o que é? Como funciona, para que serve e mais.

Traqueostomia é uma intervenção cirúrgica que se caracteriza pela realização de uma pequena abertura na traqueia, seguida da colocação de uma cânula (tubo flexível) por esse orifício, com a finalidade de promover a passagem de ar.

Esse é um procedimento que é realizado somente em pacientes que estão com insuficiência respiratória, que ocorre quando a passagem do ar pela narina ou boca, laringe, traqueia, brônquios e pulmões é obstruída.

Neste caso, a traqueostomia facilita e garante a chegada do ar aos pulmões, oxigenando todo o corpo do paciente e seus órgãos, de modo a assegurar seu correto funcionamento, ajudando a salvar muitas vidas.

Passo a passo da Traqueostomia

Traqueostomia: o que é? Como funciona, para que serve e mais.

Antes de optar pela realização da Traqueostomia, o paciente passa por uma análise feita por médicos para saber, rapidamente, se o procedimento é realmente necessário para desobstruir suas vias respiratórias. Os profissionais analisam se o paciente:

  1. Tem falta de ar como o principal sintoma;
  2. Tosse ininterruptamente;
  3. Emite um ruído seco ao tentar respirar;
  4. Está com a pele azulada ou pálida;
  5. Enfrenta engasgos com frequência ao tentar respirar.

Se todos esses sintomas foram confirmados, o que caracteriza uma urgência, já que a vida do paciente está em risco, um médico e sua equipe começam a realizar as etapas para a traqueostomia, que consistem em:

  1. Encaminhamento do paciente ao centro cirúrgico;
  2. Aplicação de anestesia geral;
  3. Assepsia do local de corte, neste caso, do pescoço. Este passo é importante para minimizar o risco de contaminação e possibilidade de infecções;
  4. Análise do pescoço, por meio do tato, para identificar os anéis cartilaginosos da traqueia e o local perfeito e seguro para o corte;
  5. Realização da incisão;
  6. Inserção da cânula, mantendo parte dela dentro da traqueia e a outra parte para fora;
  7. Ajuste da cânula na parte externa, com o auxílio de um balão, procedimento que inibe o vazamento de fluidos;
  8. Conexão da cânula a equipamentos que auxiliam na respiração mecânica.

Traqueostomia dói?

Trata-se de um procedimento indolor para o paciente, porque ele está sob o efeito da anestesia durante a realização da intervenção. Posteriormente, alguma dor pode ser sentida no local da incisão, mas ela é totalmente controlada por medicamentos receitados pelo médico responsável.

Preparo para a Traqueostomia

Como se trata de um procedimento realizado em caráter de urgência e de forma inesperada, o paciente não precisa fazer preparo algum. A equipe responsável pela traqueostomia é que cuida de todos os pormenores da cirurgia.

Qual médico realiza a traqueostomia

Tal procedimento costuma ser realizado por médicos especialistas em traqueostomia, bem como por aqueles que se especializaram em doenças associadas ao aparelho respiratório, envolvendo, principalmente, laringe, traqueia e brônquios.

Vale salientar que esse profissional comanda a cirurgia, mas ele conta com o apoio de uma equipe especializada, que é responsável por preparar o paciente e fornecer todo o suporte ao médico durante a intervenção.

Como é a recuperação pós-traqueostomia

O médico responsável realiza um acompanhamento contínuo do paciente, para identificar se sua respiração está normalizada. Se isso for constatado, o profissional decide se fará o processo de decanulação, que consiste na retirada da cânula.

A recuperação total da traqueostomia ocorre de forma diferente para cada pessoa. Após a retirada da cânula, há a sutura e acompanhamento do paciente, para assegurar que não há mais problemas respiratórios.

O processo de cicatrização do local da incisão varia, podendo ser rápido, em cerca de 10 dias, ou demorar um pouco mais, chegando a 30 dias. Há essa diferença porque o corpo de cada paciente reage de uma forma.

Durante todo esse período de cicatrização, é importante seguir as recomendações do médico responsável, para evitar uma nova abertura da incisão ou a infecção do local, o que atrasa a cicatrização.

Danos da traqueostomia

Por ser um procedimento cirúrgico invasivo, a traqueostomia pode provocar danos ao paciente. Mas, é importante ressaltar que tais problemas tendem a ocorrer quando a pessoa já está muito enferma ou há alguma complicação de saúde. Além disso, falhas humanas também podem levar a danos. Entre os principais, destaque para:

  1. Deslocamento da traqueia;
  2. Obstrução da via respiratória;
  3. Edema na mucosa e traqueia;
  4. Lesão no esôfago;
  5. Dificuldade para deglutir alimentos;
  6. Problemas nas cordas vocais, com dificuldade para emitir sons.

Ajude a melhor ainda mais o site, avalie:

1 Star2 Stars3 Stars4 Stars5 Stars (No Ratings Yet)
Loading...

Leave a Reply