Vacina da febre amarela: quem pode tomar, efeitos colaterais e mais

A vacina de febre amarela pode ser tomada gratuitamente nos postos de saúde brasileiros. A vacinação é a forma mais efetiva de prevenção contra a doença que é endêmica no Brasil, principalmente na região Norte e Nordeste. Até 2014 a vacinação era recomendada para crianças a partir de 6 a 9 meses e com necessidade de renovação a cada 10 anos. Desde 2016, foi liberado a dose única – válida para a vida toda. Quem tomou a fracionada pode renovar com esta nova versão.

De acordo com o Boletim Epidemiológico divulgado pelo Ministério da Saúde, houve 394 mortes confirmadas por febre amarela entre os meses de julho de 2017 a 2 de maio de 2018. Até 2014 a vacina era indicada somente para quem morava nas regiões endêmicas, hoje ela faz parte da carteira de vacinação de todo cidadão brasileiro.

Vacina da febre amarela: quem pode tomar, efeitos colaterais e mais.

Reação da vacina da febre amarela

Essa medicação é feita via subcutânea e é realizada a partir do vírus vivo atenuado, isto é, ela possui subcepa 17DD do vírus da febre amarela, cultivado em ovos de galinha embrionados, livres de germes patogênicos.

As reações mais comuns são:

  • Hipersensibilidade;
  • Dor no braço;
  • Mal-estar;
  • Manifestações da doença com o surgimento de sinais e sintomas observados.

Dose única e Dose fracionada – Qual tomar?

Em divulgação recente, foi estabelecido que a vacinação contra a febre amarela seria por meio da dose fracionada – parte da dose padrão, que garante proteção similar.

A diferença entre as duas doses (padrão e fracionada) está na dosagem e no tempo de proteção:

  1. A dose padrão tem aplicação de 0,5 mL da vacina, com um tempo de proteção para toda a vida;
  2. A dose fracionada tem aplicação de 0,5 mL, com duração de, pelo menos, 8 anos.

A dose fracionada é indicada para todas as pessoas a partir de 2 anos de idade, que não possuem vacina prévia, o que inclui pessoas idosas e indígenas, com exceção de quem tem contraindicações ou que precisa receber dose padrão por meio de recomendação médica (ou a necessidade de apresentar o certificado de vacinação para viagens).

Surgiu muita polêmica sobre a dose fracionada, mas ela fornece imunidade à doença e sua dose é segura. O objetivo desta dose é simples: servir de medida de emergência, para ser usada em campanhas de vacinação, para que se controle possíveis surtos, em que o fornecimento da vacina da febre amarela é limitado.

Por ter a mesma composição, a dose fracionada não apresenta riscos ou efeitos colaterais maiores do que a dose padrão.

Quem ainda não tomou a vacina e vai visitar alguma área de risco precisa do certificado do Ministério da Saúde. Brasileiros que deixam o país também precisam do documento em mãos, ele pode ser emitido diretamente nos postos do ministério disponíveis por todo o Brasil.

Contraindicações da vacina – Quando não tomar

Você pode dirigir-se a uma unidade de saúde de seu município para tomar a vacina da febre amarela, mas deve ter muita atenção, já que algumas pessoas possuem contraindicações para tomá-la. Veja se você se encaixa nesses grupos:

  • Crianças menores de 9 meses de idade;
  • Lactantes de crianças menores de 6 meses de idade;
  • Pacientes em tratamento com quimioterapia e/ou radioterapia;
  • Pessoas com alergia grave ao ovo;
  • Pessoas que estão submetidas a tratamento com imunossupressores (pois eles diminuem a defesa do organismo);
  • Portadores de doença autoimune;
  • Portadores de HIV.

Se for necessário, converse com um médico de confiança para compreender se você pode ou não ter a vacina da febre amarela.

A medicação, por ser feita a partir do vírus vivo atenuado, possui uma pequena chance de fazer com que a pessoa desenvolva a doença. Contudo, a probabilidade de isto acontecer é de 1 em 400 mil doses de vacina aplicadas.

Vacina da febre amarela: quem pode tomar, efeitos colaterais e mais.

Dúvidas sobre a febre amarela

  • A vacina da febre amarela não mata – ela é totalmente eficaz e segura;
  • A imunização em massa diminui a circulação do agente infeccioso na sociedade;
  • Os macacos não são responsáveis pela transmissão da doença, eles são hospedeiros dos vetores (mosquitos).

Tais animais também são vítimas da doença e podem morrer por conta dela. A morte dos macacos são guias para ações de prevenção, pois são sinais claros da presença da febre amarela em determinada área.


Ajude a melhor ainda mais o site, avalie:

1 Star2 Stars3 Stars4 Stars5 Stars (No Ratings Yet)
Loading...

Leave a Reply